sexta-feira, 3 de abril de 2009

Um lugar chamado...Puerto Fuy

Pensei muito sobre o que escreveria no meu primeiro post. Os assuntos são tantos e o material ilustrativo tão vasto que fiquei confuso na hora de escolher aquele que seria o meu tema inaugural.
Mas aí lembrei de uma viagem que fiz o ano passado com minha esposa, Paula, à cidade de Santiago, no Chile. Foi um passeio muito enriquecedor, tanto em termos culturais quanto gastronômicos. Confesso que antes de pensar em ir para ao Chile, nunca tinha desejado visitar a região, mas depois de ter ouvido as experiências e de ter visto as fotos das minha amigas do trabalho que lá estiveram no carnaval, fiquei ansioso em conhecer a cidade misticamente envolvida pela famosa Cordilheira dos Andes.
Meu relato aqui não tem como foco os aspectos turísticos da região e nem pretende ser um guia de viagem. Mas sim minha experiência e opiniões sobre a deliciosa, variada e inesquecível gastronomia local. Para ilustrar, muitas fotos, dicas, aspectos culturais e até a receita de um prato que, apesar de ser de origem peruana, é muito servido no Chile. Falo do ceviche, que para quem não conhece é um delicioso prato de peixe marinado em suco de limão e outras pequenos temperos. Venha junto comigo nessa jornada de sabores e prazeres! Você não vai se arrepender!



A minha aventura de paladar e aromas vai começar por um dos melhores restaurantes de Santiago: o PUERTO FUY, do chef Giancarlo Mazzarelli. Com sua comida contemporânea onde alguns pratos adotam as técnicas da gastronomia molecular, o restaurante não se destaca apenas pelo sabor, delicioso e único, mas também pela apresentação dos pratos, verdadeiro e sedutor trabalho de arte.



O restaurante fica no requintado bairro de Vitacura e o ambiente é acolhedor, com luzes indiretas e velas sobre a mesa, formando um cenário romântico de sombras e penumbras. Eu e Paula ficamos em uma mesa perto do jardim de inverno e aqui vai a primeira dica: não esqueça de fazer reservas. Isso pode lhe custar o evento.



O primeiro prato servido foi uma cortesia da casa: tartar de atum com manjericão e outras especiarias que despertaram meu paladar, embora o garçom não quisesse me revelar do que se tratava. Pelo jeito, segredo de estado. A apresentação era impecável e a louça de serviço com design desenvolvido para a exclusiva degustação daquela minúscula experiência gastronômica.



Durante a degustação do tartar, algumas variedades de pães nos foram oferecidas. Junto a estes, um azeite especial, virgem, filtrado e levemente aquecido. O restante que o garçom mencionou, meu espanhol tupiniquim não foi suficiente para entender. Mas, com certeza, era um azeite com sabor bem leve e diferente.



Pedimos uma entrada para poder degustar um dos pratos que mais tinha vontade de conhecer: o ceviche (ou cebiche, como falam os de língua espanhola). Embora seja de origem peruana, é uma unanimidade nos cardápios chilenos. Pode ser feito com uma infinidade de peixes e frutos do mar, mas o mais tradicional é produzido a partir de pescado de carne branca. O ceviche é popular em vários paises da América Latina e cada país tem sua forma de preparo. No Chile, ele é basicamente feito com o filé de Alabote (conhecido também como Hallibut) ou Robalo (traduzido em alguns locais como Sea Bass), marinado em suco de limão e grapefruit, cebola picadas, pimenta, coentro, hortelã e outros temperos locais. É a verdadeira alquimia expressa sob a forma de aperitivo.



Entre a entrada de ceviche e o prato principal, fomos brindados com um sorbet de limão e manjericão. Pra quem não conhece o termo “sorbet”, nada mais é do que uma espécie de sorvete feito à base de água e frutas, sem a utilização de leite e geralmente é servido entre as refeições para limpar o paladar.



Para quem pensou que tudo tinha chegado ao fim, se enganou. Começava então o show de criatividade gastronômica. Paula pediu um prato de camarão empanado com espuma de queijo, absolutamente divino. Naquele momento, vimos na prática a tal da “gastronomia molecular” aplicada. Eu, que também não conhecia esse termo, descobri que a terminologia é empregada quando se usam estudos dos processos físicos e químicos para se cozinhar. É a mistura da arte com a ciência. A verdadeira alquimia de sabores. Só pra constar, o maior incentivador dessa nova modalidade de gastronomia é Ferran Adrià, espanhol, dono do restaurante El Bulli, que abre apenas de abril à setembro, e no restante do ano fica fechado para que Ferran possa, em sua cozinha experimental, se dedicar às novas criações.



O meu prato principal chegou: trilogia de congro. Já imaginava como ele era pois já tinha tido a chance de observá-lo descrito num blog que há muito tempo acompanho: Destemperados (
http://www.destemperados.blogspot.com/), que pertence ao trio Diogo, Diego e Lela. Esse blog serviu de guia e inspiração para essa curtição sensorial de comer no Puerto Fuy, inclusive me auxiliando na escolha do meu prato. O sabor é algo indescritível. O interessante é que o prato é composto por três tipos de congros (no Chile se diz Congrio); o dourado, o negro e o rosa, sendo que cada um deles tem pontos de cozimento diferentes, dificultando o trabalho do cozinheiro. Mas pratos tão lindos e saborosos assim só podem ser feitos com prazer.



Como enófilo que sou e agora estudante do curso de vinhos da ABS (Associação Brasileira de Sommeliers), não podia deixar de citar nossa escolha da noite – na verdade, uma sugestão do sommelier da casa. O Medalla Real Sauvignon Blanc Reserva Especial 2008, da vinícola Santa Rita, é um vinho jovem, mas de agradável sabor. Sua coloração é amarelo claro, com leve tonalidade esverdeada. Tem intenso aroma frutado e na boca se apresenta bem balanceado. Boa recomendação para acompanhar os pratos da noite.





Antes do “gran finale” fomos agraciados com um novo sorbet de maracujá feito com nitrogênio líquido para purificar o paladar antes de entramos na sobremesa. Mais uma das técnicas da moderna culinária molecular.



Para não perdemos nenhuma opção, resolvemos pedir uma sobremesa cada um. O de Paula era um creme bruleé de baunilha al Grand Marnier com crumble de chocolate e sorbet de mandarina. Incrível paladar!! O creme brulée não é nenhuma novidade, mas junto com os berries (espécie de amora), o crumble (espécie de farofa doce, neste caso feita com grãos e pistache) de chocolate e o sorbet de madarina (espécie de tangerina) formou-se uma tríade difícil de superar. Valeu a pena! Quase afrodisíaco!



E pra fechar com chave de ouro, minha sobremesa foi o Aspic de Late Harvest, que consistia em panacotta (traduzido como “creme cozido”, é uma sobremesa italiana que junta leite, creme, açúcar e gelatina) de baunilha com berries e sorbet de baunilha com toques de molho de maracujá. Era algo completamente diferente do que já havia provado antes. Delicioso!! Sem palavras!



A noite terminava e a orgia sensorial também. Era hora de voltar ao hotel, mas felizmente ainda tínhamos mais alguns dias para curtir a linda Santiago e todas as outras opções gastronômicas da cidade. O investimento não foi barato, mas valeu super à pena. Voltaria lá com certeza.
Ah, apenas um alerta para os desavisados que pedirem ao maître um táxi para voltar ao hotel. Eles cobram mais caro por terem sido chamados pelo restaurante e não adianta negociar. Eles são duro na queda.
Não perca: logo abaixo segue, a receita do ceviche. Bon appetit, messieurs!

Restaurante PUERTO FUY
(http://www.puertofuy.cl/)
Santiago - Chile
Nueva Costanera, 3969 - Vitacura
Tel.: (56-2) 208 8908 ou 206 7391
E-mail: info@puertofuy.cl
obs: Os pratos principais variam de R$40 à R$60 reais.



RECEITAS


Ceviche de linguado
(para 4 pessoas)


1/2 kg de linguado fresco
1 cebola roxa pequena picada
1 pimentão pequeno amarelo picado
1 pimentão pequeno vermelho picado
1 colher de alho moído
10 limões taiti ou siciliano
1 maço de cheiro verde bem picado
1 colher de sopa de azeite
1 pitada de gengibre
Sal e pimenta a gosto


Corte os filés de linguado em pequenas tiras. Reserve-os. Em seguida, em uma tigela, separe a cebola roxa picada, os pimentões picados, o alho moído, o cheiro verde bem picado e o gengibre. Adicione o peixe na tigela. Misture todos os ingredientes e deixe descansar por 10 minutos. Depois, acrescente o suco de limão, o azeite, sal e pimenta. Deixe a mistura marinando na geladeira por 30 a 45 minutos e sirva.

DICAS:
1) Você pode usar o linguado ou robalo; ou ainda, se encontrar, o halibut (alabote). Caso prefira usar camarão, ferva-os na água jogando-os sem casca por 30 segundos e depois coloque-os em água gelada para interromper o processo de cozimento.
2) Se você quiser um ceviche com um sabor mais marcante, utilize o limões taiti. Caso queira um mais suave, use o siciliano.
3) Existem mais de duzentas variações de receitas de ceviche, utilizando-se os mais variados ingredientes, tais como: coentro, pimenta-rosa, abacate, tomate e etc... A receita clássica peruana usa um ingrediente conhecido como Ají limo, que é uma espécie de pimenta pequena e picante que pode ser da cor amarela, vermelha, roxa ou verde.

João Guedes Pereira

15 comentários:

Katia Bonfadini disse...

João, fiquei deslumbrada com seu primeiro post! Que experiência visual incrível! As fotos estão lindas, eu lembrava de tê-las visto, mas inseridas no contexto do blog elas me parecem ainda mais bonitas. E os pratos, super apetitosos. Amei a Logomarca e toda a identidade visual do site. Há muito capricho, como tudo o que você faz. Fiquei surpresa ao perceber que o blog já estava no ar!!! Que bom, mais um blog de qualidade na lista dos meus favoritos! Parabéns, amigo talentoso e criativo!!!

João Luis Guedes P. Pereira disse...

Oi, Katinha!! Você estreou o meu blog com seu comentário! Eu o coloquei no ar nessa madrugada. Tomei uma surra com a colocação das fotos, mas ainda bem que você me deu uns toques antes. A parte visual já estava bem adiantada pois venho pensando nela desde a semana passada, mas só coloquei no ar quando o post ficou pronto. Deu um trabalhinho, mas tô curtindo muito. A Vê me ajudou bastante, principalmente no texto e na concepção do nome. Bem, não sei se notou, mas já coloquei o blog de vcs nos meus links. Já estou preparando um post pra falar de vocês, pois foram a minha inspiração nessa jornada de blogs. Valeu, amiga pelo incentivo! Bjs

Verônica Cobas disse...

Seja bem-vindo, amigo a quem quero tanto bem!!!!

O mundo virtual das letras e imagens não podia prescindir de tanta sensibilidade. Adorei tudo! Do vermelho expressivo ( na verdade, a minha cor de sempre)ao design; da logomarca às fontes; da inspiração aos sabores. Viagem linda, pratos fantásticos, texto super legal ( os meus toques foram apenas toques, pode ter certeza).
A vida da gente também é um grande resultado alquímico, expresso em misturas empíricas nem sempre boas, nem sempre ruins...mas absolutamente exclusivas. Teu blog tem essa digital...suave, doce, cuidadosa, esteta, densa e sedutora.
Então....divirta-se, amigo!!! Vou me divertir muito por aqui também. Visitando, curtindo os pratos, degustando os bons vinhos ( espero beber muito junto ainda)e fazendo comentários enoooooorrrrrmmmmmes!!

Beijo Imenso!!! Vê

João Luis Guedes P. Pereira disse...

Oi, Vê! Estava aguardando ansiosamente seu comentário!!! Você sabe que essa minha fase blogista foi uma consequência natural de todo um entusiasmo que gerou principalmente pela sua iniciativa com o "criative-se". Me senti motivado para colocar todas essas minha vivências no formato de blog, a possibilidade de releituras e aprendizados na escrita e troca de informações desse infinito mundo da gastronomia. Você faz parte disso do início ao fim, me acompanhou. me ajudou, inclusive é a criadora do nome. Sem contar toda a ajuda na formatação dos textos, deixando não só gramaticalmente certos, mas sonoros e sedutores. Como lhe falei, quero que você seja minha primeira convidada do blog. Gostaria de apresentar um post seu e gostaria de fazer uma pequena entrevista também. Estou bolando uma seção de entrevista gastronômica com os amigos, mas isso depois a gente fala.
Bem, como já tô falando demais. Quero deixar aqui meu agradecimento por todo carinho, incentivo, inspiração e ajuda dessa amiga que quero muito bem. Vamos marcar nossa degustação de vinhos e com certeza já tem lugar assegurado num post aqui no Sabor & Alquimia. Beijos, amiga!!

A vida é uma arte disse...

Bom Dia!!!
Eu já estou seguindo o blog, pois a verônica me indicou, minha foto não saiu ao lado, não sei o motivo.
Mais bem estou aqui para aprender um pouco mais.Sou de Recife e sempre acompanho o criative-se, adoro essas meninas, a Verônica nem se fala, um amor de pessoa, sempre respondendo aos e-mails.
Vou indicar para outras pessoas também. Me blog está desativado, só tenho do hotmail, mais depois quero direcionar meu blog, tou em uma outra fase da minha vida, curtindo as paisagens e a Jardinagem.
Um ótimo Final de Semana.
Abraços Nicinha

Jopin Pereira disse...

Oi, Joe! Imerso em felicidade vi amanhecer o sábado com a publicação do nosso - por sua generosidade - blog Sabor e Alquimia. Nada mais próprio para festejar que abrir um champanhe. No entanto, champanhes não são produzidos com letras, mas poemas são. Façamos então desse poema, a garrafa de champanhe com a qual brindaremos o alquímico momento. Como o champanhe, o poema é fruto da alquimia do sentir, refletindo o resultado da dupla fermentação, no corpo e na alma. Assim o poema adquire o seu perlage, que deve ser apreciado com a mesma delicadeza de gestos e solenidade com os quais se degusta o precioso líquido. O champanhe aqui servido é obra de um mestre champanheiro da vida, Vinicius de Moraes, que nos traz, numa garrafa Magnun, o seu poema “O dia da criação”, popularmente conhecido como ”Porque hoje é sábado”. Sirvo aqui a primeira taça, representado por sua primeira estrofe: “Hoje é sábado, amanhã é domingo/ A vida vem em ondas, como o mar / Os bondes andam em cima dos trilhos /E Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na cruz para nos salvar....”.O restante da garrafa estará a disposição na adega http://www.jornaldepoesia.jor.br/vm3.html . Vamos então degustar, comemorar, e por que não, postar e apostar no sucesso e vida longa do blog? Esse seu primeiro post está saboroso! Beijão do DadZe.

xTha disse...

Simplesmente perfeito!!!

Adorei seu primeiro post, seja muito bem vindo à blogesphera!

Colocarei seu blog nos favoritos com certeza...

hmmm me deu uma fominha *-*

Anônimo disse...

João, que bom poder te ler por aqui.
Você sabe, bom amigo, que sou uma pessoa não que consegue identificar muita diferença entre o berinjela e o roxo, mas minha pouca capacidade sensorial me permite ver quão profundo e belo é tudo o que você interpreta.
Sorte e sucesso nessa nova empreitada! Beijos, Jane

Roberta Bernardo disse...

Adorei o blog. A cara, os textos, as fotos, o cheiro da comida! rs.
Sucesso pra vocês e que o prazer seja muito a cada post!! Estaremos aqui lendo do outro lado!
Bjks, Roberta

Karla Lemos disse...

João, fiquei surpresa com tanta sensibilidade, além da escrita fácil e saborosa ao mesmo tempo. Essa sua nova faceta está exalando para todos os lados beleza, doçura e um novo João mais próximo. Nos conhecemos a muito, mas quando realmente estamos perto, é quando nos mostramos, não é mesmo (falo por mim também). Seja bem-vindo, estou adorando tudo isso. Vou ser assídua com certeza... quero participar também de muitos encontros gastronômicos ao seu lado e dos nossos amigos. bjs e Parabéns pela iniciativa. Karla

João Luis Guedes P. Pereira disse...

NICINHA: Oi, Nicinha!! Obrigado por seguir o blog. Já conhecia vc dos comentários do blog das Criativas. Inclusive, um dos melhores sites criativos do momento.
Que bom que gostou! Fique ligada, pois estarei sempre postando novidades!
Bjs!! Boa Páscoa!!

JOPIN: O que posso dizer do meu pai. Além de um poeta de mão cheia, é um eterno amante das artes gastronômicas e meu incentivador. Juntos, com essa missão, estaremos festejando a alegria e os prazeres da vida recheando nossos blog com posts cheios de vivência, inspiração e muita comida e bebida "da boa". Bjs!! Boa Páscoa!!

Xtha (THAIS): Obrigado por adicionar o blog e obrigado pelo elogio! Volte sempre, pois estaremos recheando sempre de novidades!! Bjs!! Boa Páscoa!!

JANE: Oi Janinha!! Que bom ter você por aqui! A sua capacidade de sensorial pode não distinguir o roxo do berinjela, mas destrincha com toda plenitude a alma e sentimento de cada um de nós com muita clareza. Quisera eu poder ter essa percepção! Obrigado pelo incentivo e pelo apoio! Beijos, amiga!! Boa Páscoa!

ROBERTA: Olá Roberta! Em primeiro lugar não posso deixar de dar os parabéns à vc e todas as outras quatro criativas pelo trabalho que vem fazendo no blog Criative-se. A sintonia e criatividade de vocês são invejáveis, no bom sentido!! Estou sempre acompanhando, pois cada dia é uma emoção diferente!! Obrigado pelo elogio do blog! Com certeza tem sido feito com muito carinho!! Aguarde mais novidades!! Bjs!! Boa Páscoa!

KARLA: Karlicha!! Sua palavras ressoam com muita alegria pra mim. Parte de toda essa energia e dedicação que estou colocando nesse blog é provido da inspiração com vocês, pois essa osmose positiva de alegria e sintonia que vocês tem, com certeza é propulsora do meu incentivo em criar esse meu espaço que tem me feito tão bem. Obrigado pelo apoio e pelas palavras!! Agora, temos mais um motivo para continuar nossos encontros gastronômicos!! A degustação de vinhos pós-curso ABS ainda está de pé! Só falta marcarmos o dia!! Beijos!!! Boa Páscoa!!

Lucia Laureano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucia Laureano disse...

Oi João!
Que legal que você se rendeu a este mudo virtual!!!
E estreou em grande estilo!
Que post fantástico!
Quanto talento!
Parabéns!
bjs,

João Luis Guedes P. Pereira disse...

Obrigado, Lucia!
Graças a competência e criatividade do blog de vcs, estou rendido e viciado, no sentido blogueiro e gastronômico da palavra. Afinal vcs foram parte da minha inspiração. Valeu pelo apoio!! Bjs!

Anônimo disse...

bom comeco

Related Posts with Thumbnails