sexta-feira, 12 de junho de 2009

Aconchego Carioca – Comida Di Buteco

Domingo, 7 de junho, era um dia para descansar. Acordamos tarde e perto da hora do almoço.
Sem muito tempo para decidir o que fazer, resolvemos conhecer um dos lugares que estava participando do evento Comida di Buteco. Por questões de proximidade e indicação de amigos, rumamos para o Aconchego Carioca.

Esse pitoresco e rústico bar/restaurante/boteco está localizado na Praça da Bandeira, na rua Barão de Iguatemi. Aí, você me pergunta: Aonde?? Eu te digo: Isso mesmo, Praça da Bandeira! Entre as ruas Matoso e Felisberto de Menezes! Bem, continuou na mesma? Não se preocupe, apesar das ruas não serem muito conhecidas, o Aconchego Carioca é ponto de referência e não é difícil encontrar.

Mapa

A primeira vista, você pode se decepcionar com a aparência do lugar, pois ele é um verdadeiro representante da imagem do boteco tradicional. Mas, não desista. Você não vai se arrepender.

O Aconchego carioca é comandado pelas sócias Kátia Barbosa e sua cunhada Rosa Gonçalves(Pink). Kátia é a cozinheira de mão cheia que além de preparar todas essas maravilhas, foi a criadora do repertório do Aconchego.
Eu e Paula, chegamos lá por volta das 14h e já estava cheio, com seus aproximados 20 assentos ocupados. Um grupo de três pessoas aguardava ser chamado e nós seríamos os próximos. Esperamos uns 20 minutos e enquanto isso, já olhávamos o cardápio para adiantar o nosso pedido. Duas carrancas, uma de cada lado da entrada, fazia as honras de proteção e boas vindas da casa.

O simpático Luís, sócio-atleta e arquiteto como ele próprio se definiu, fazia as honras de "maître", organizando quem estava chegando, atendendo quem já estava comendo e respondendo à dúvidas e questionamento de todos.

Com uma ambientação simples e características nordestinas, o bar dispõe de uma invejável seleção de mais de 100 tipos de cervejas nacionais e internacionais. Há opções para todos os gostos e para quem aprecia cervejas, é uma ótima oportunidade de experimentá-las junto à uma excelente comida baiana.

Eu, como não conhecedor dessa arte, preferi optar por não errar e escolhi a original para acompanhar minha tarde degustativa.

Com vários quadros na parede fotos de famosos que visitaram o bar, redes nordestinas penduradas no teto e um painel pintado representando a vida boêmia, o Aconchego celebra o verdadeiro estilo despojado, quase descuidado, mas com uma culinária personalizada e saborosa.

Pra começar, pedimos o mais famoso prato da casa e criação de Kátia: o bolinho de feijoada recheado com couve, com acompanhamento de pururuca, laranja e uma batida de limão. Era uma delícia!! E olha que eu sou suspeito pra falar, pois eu não sou muito chegado a feijoada. Realmente me surpreendeu, pois o bolinho estava sequinho, crocante, com o recheio de couve bem temperadinho e muito saboroso. A batidinha de limão, quase uma caipirinha, dava um toque especial.

Para prestigiar o evento Comida di Buteco, resolvemos pedir o prato que está concorrendo. Apesar de estar listado apenas como purê, a própria Kátia se encarregou de desmetir que o nome estava incompleto. Na verdade, o prato é uma moquequinha de camarão com purê de batata baroa e raspas de côco. Bem farto para uma entrada individual e com imensos camarões, o prato é forte candidato ao título. Excelente escolha!

Cessando as opções de entrada, partimos para o prato principal. As opções eram muitas, mas resolvemos dessa vez prestigiar o escondidinho de camarão com queijo coalho gratinado com aipim cremoso. Nossa, a porção dava para umas quatro pessoas!! Essa releitura de escondidinho estava muito gostosa, mas para alguns pode não ser tão primorosa, talvez pela quantidade de aipim cremoso. De qualquer forma, ninguém pode reclamar do camarão: grande em quantidade e tamanho.

Infelizmente, não consegui tirar a foto de um prato que estava sendo servido em outra mesa, que é a cara do Aconchego: o camarão na moranga, que é incrivelmente bem servido. Serve pelo menos 6 pessoas. Bem, essa vai ficar pra próxima!

No final do almoço, fui tirar algumas fotos com a Kátia e a Pink, que se mostraram super simpáticas. É a outra face do sucesso. Se mantiveram simples e acessíveis, mesmo com todo o alarde de divulgação em cima de seus nomes e do bar.

Bill e Maurício, os fíeis ajudantes-atendentes também merecem destaque aqui. Afinal, mesmo com poucos assentos, duas pessoas apenas para servir e atender a um movimento que não pára (pelo menos o tempo que estivemos lá, toda vez que saía alguém, outros chegavam) é uma tarefa árdua.

Saindo do bar, o nosso querido "sócio-atleta e arquiteto" Luís, nos informou que por conta do movimento, eles alugaram a casa em frente e estavam fazendo algumas reformas para mudar de endereço.

A casa é de esquina, tem um espaço bem maior e promete dar mais conforto e condições melhores de atendimento à seus clientes, mas tudo isso sem perder o clima que consagrou a casa, reprozindo inclusive, o clima boteco-nordestino orginal mantendo as redes no tetos e os ladrilhos na parede. Só posso desejar boa sorte no novo local!!

Quando inaugurar eu volta pra contar!!

ACONCHEGO CARIOCA
Rua Barão de Iguatemi, 388 A . - Praça da Bandeira
Tel: 2273 1035
Horário de funcionamento:
2ª a sábado, de 12h às 23h. Domingos e feriados, de 12h às 18h

 

RECEITA

Bolinho de feijoada

Crédito: foto acima: Kátia Bonfadini

Bolinho de Feijoada

  • 2 litros de água
  • Meio kg de feijão preto
  • 100 g de carne seca dessalgada e cortada em cubinhos
  • 100 g de lombo dessalgado e cortado em cubinhos
  • 100 g de costelinha dessalgada (ou defumada)
  • 1 lingüiça calabresa cortada em cubos
  • 1 paio cortado em cubos
  • 3 folhas de louro
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 3 dentes de alho
  • sal a gosto
  • 300 g de farinha de mandioca amarela (fina que não seja torrada)
  • 1 colher (sopa) de polvilho azedo
  • 250 g de bacon (para refogar a couve) cortado em cubinhos
  • 2 dentes de alho
  • 2 maços de couve cortada em tiras
  • farinha própria para empanar

Modo de Preparo

  • Numa panela de pressão coloque 2 litros de água,o feijão preto, a carne seca dessalgada e cortada em cubinhos, o lombo dessalgado e cortado em cubinhos, a costelinha dessalgada (ou defumada), a lingüiça calabresa cortada em cubos, o paio cortado em cubos e as folhas de louro. Tampe a panela e coloque em fogo médio por +/- 1 hora, contados após pegar pressão. Retire totalmente a pressão e abra a panela.
  • Transfira o feijão, o caldo e as carnes para um liquidificador (faça isso por partes) e bata bem.
  • Numa panela grande aqueça o azeite, doure os dentes de alho, refogue o feijão batido e acerte o sal.
  • AOS POUCOS vá acrescentando a farinha de mandioca amarela (fina que não seja torrada) sem parar de mexer. Mexa vigorosamente até o tutu soltar do fundo da panela. Coloque esse tutu pronto em um recipiente para esfriar.
  • Depois do tutu frio, incorpore o polvilho azedo e trabalhe bem a massa para que fique homogênea (bem lisinha). Reserve.
  • Enquanto isso, numa panela doure o bacon cortado em cubinhos e os dentes de alho. Acrescente acouve cortada em tiras e sal a gosto e desligue o fogo rapidamente, só para dar um "susto" na couve.
  • Pegue uma porção da massa e abra um disco na palma de uma mão. Adicione uma colher da couve refogada no centro do bolinho e feche-o bem. Passe na farinha para empanar e frite os bolinhos em óleo bem quente.
  • Sirva com torresmo, gomos de laranja e uma batidinha de limão para beber.

Referência: receita tirada do site MAIS VOCÊ (http://receitas.maisvoce.globo.com/Receitas/Paes_Salgadinhos/0,,REC32225-7780-64+BOLINHO+DE+FEIJOADA,00.html)

7 comentários:

*-._.-* Anita *-._.-* disse...

Lugar acolhedor, bonito, receita ótima... mas o que me encantou foi a
moquequinha de camarão com purê de batata baroa e raspas de côco.

bjsssss

Nicinha disse...

Olá João!
Como o nome já diz aconchego, contribuindo para um ambiente menos formal,que nos proporciona um momento de descontração.
A simpatia das sócias e seus funcionários, a qualidade do atendimento, tudo isso faz parte de um bom funcionamento.Com certeza a volta é garantida.Adorei o painel na parede tipico carioca, roda de amigos, cantando e se divertindo.
Tudo de bom essa moqueca!Deve ser uma delicia escondidinho de camarão, aqui em Recife,adoramos o de charque.( se eu conseguir a receita enviu por e-mail)
Obra, mudança sempre são bem vindas, claro sem perder a originalidade.
Seu blog sempre surpreendendo. Parabéns!
Sucesso!
Bj da amiga Nicinha.

Sabor e Alquimia disse...

Anita: O lugar tem a comida muito boa. A moquequinha é um escândalo! Com certeza quero voltar para provar outros pratos. bjs!!

Sabor e Alquimia disse...

Anita: O lugar tem a comida muito boa. A moquequinha é um escândalo! Com certeza quero voltar para provar outros pratos. bjs!!

Sabor e Alquimia disse...

Nicinha: O local é bem pitoresco, mas pela comida, vale a visita! Quando eu voltar, quero ver se levo mais gente pra poder dividir os pratos maiores, ou o baião de dois ou o camarão na moranga! Humm, já me deu fome até de pensar!!!
O escondidinho de charque eu não conheço! Deve ser muito bom. Aqui temos uma versão com carne seca. Será que é o mesmo??
Obrigado mais uma vez pela presença fiel e constante!! bjs!

Verônica Cobas disse...

Concordo com você, João. O Aconchego é lugar para grupo de amigos e experimentações. Os pratos são muito grandes e afeitos à divisão democrática e harmônica. Sem dúvida, o melhor da casa está nos petiscos. E embora saiba que existem outras opções por aí, o bolinho de feijoada é absolutamente único.

bjss

Katia Bonfadini disse...

João, não tem nada comom um bom boteco, né? Eu adorei o Aconchego e sua variedade de cervejas, além do bolinho de feijoada, divino!!!! Só não gostei tanto do escondidinho de camarão... como te falei na época, o do meu pai é muito melhor!!!! E ele sabe disso, é até meio metido!!!! Adorei as fotos que você tirou e todo o post, muito completo e detalhado! Menino, acho que você deveria ser crítico gastrônomico e ter uma coluna no Globo! Parabéns!!!!

Related Posts with Thumbnails